sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Alegre coisa nenhuma!


A tristeza atrás das cortinas eletrônicas


Música eletrônica é sinônimo de alegria? Não para nós! Claro, nem todos percebem: por detrás daquela pegada dançante esconde-se um eu-lírico (?) digno de Coldplay, Radiohead e qualquer outra música de fossa que vocês conheçam. E essa ideia, não tem muita coisa de nova. É algo que o New Order fazia há mais de 20 anos. Lembrem-se, um dos maiores sucessos dos ingleses é o clássico eletrônico Blue Monday (felicidade nem no título). Enquanto isso, o Depeache Mode consagrava os seus sintetizadores na penumbra de Enjoy the Silence.

Eles até tentam, mas esses electros não me enganam. É tocar e a noite não será mais a mesma, não é Marília? Então resolvi fazer, não bem um top 5, mas uma listinha aleatória de alguns deles. Começamos, mais ou menos, do presente e vamos nostalgicamente anos a dentro! Ah... reparem os clipes, são os melhores!


Cut Copy – Hearts on Fire

Cheia de influências noventistas, com direito a gritinho cluber e tudo, essa quase me engana em todo play. Oras, tenho até vontade de bater palmas no meio da música. Mas o tom de voz da colega Laís ao me indicar a música já me fez decifrar. Chove todo dia sobre nossas cabeças.

I've been searching for a love alive

Drowning in the silence as we walk the night


Empire of The Sun – Walking on a dream

Essa já até ganhou post aqui. Segue algo que escrevi em maio:

“Cenário místico é completado pelo tom da melodia inicial e o vocalista Luke me fez acreditar que acabo de pisar num lugar onde reina a magia. As frases de impacto te convidam a cada vez mais mergulhar no império confuso e belo da dupla. Is it real now? When two people become one. Realmente, Walking on a Dream por si só honra o nome do Empire of The Sun. Mas esse é apenas o amanhecer.”


Roger Sanchez – Another Chance

Essa, a Marília já definiu para gente no post mais recente do Pinguim de Frigobar. “Qual o seu clipe mais bonito de todos os tempos? Desde que eu vi pela primeira vez o meu tem sido esse. Incrível como uma música eletrônica de três versos pode ser triste e fazer você repensar todo o último ano.”

Outra chance? Coração pesado demais?

Dedico aos desesperados. E isso não foi pejorativo.

If I had another chance tonight

I'd try to tell you that the things

We had were right


Daft Punk – Emotion

Última faixa de um disco dedicado às sensações humanas básicas (Human of the all, 2005), é a música monossílaba mais cativante que eu conheço. Síntese básica da música de computador, os samplers e quer mais tenha nos quase 7 min de canção, Emotion é como embriagar-se de algo doce e viciante. Que tal?

Emotion


Le Tigre - Eau d'bedroom dancing

Essa me mata três vezes: o título, a entrada da guitarra, e a voz da Kathellen Hanna entoando os versos mais simples e bonitos… como tudo que ela faz! Le Tigre, e em especial Eau d’bedroom dancing, é a minha cara... logo, sou suspeita.

Eu estou no céu quando eu estou no chão

O mundo é uma bagunça e você é minha única cura

Não há mais tempo para me fazer de madura…


Haddaway – What’s love?

Clássica das boates! E por isso, eu nunca imaginaria que seria o nick triste de certa pessoa, certo dia. E simplesmente vejo a maravilha de clipe. What’s love? é dessas canções conhecidas desde sempre. Não se lembra a primeira e nem a última vez que ouviu. Porém, a conclusão é certa: é empolgante!

Empolgante coisa nenhuma! Por detrás do olhar sedutor, o cantor Haddaway esconde a dor mais triste do mundo. O medo de amar e ser ferido. (Sim, essa foi brega mas não menos sincera!)


Faixa Bônus Premium

Santa Claus – Grande Ilusão

Você só precisa de uma guitarra, um programa de computador e uma ideia!


Quando o meu olhar encontra o seu

Caio na paixão que me fodeu.

http://www.myspace.com/staclaus

2 comentários:

Marília N. disse...

Sabe, eu tinha escrito um comentário legal aqui. Mas essa porcaria de blogger resolveu podar. Mas eu digo uma coisa colega, tem horas que eu queria ser dj só pra discotecar essas músicas. Depois vou ouvir as que eu ainda não conheço.
Bjos!

Péricles Carvalho disse...

Gosto muito de Daft Punk, já escutei algumas coisas, mesmo sem saber exatamente o que é, hehe;

eu gosto dessa pegada eletronica que, como você disse, de novidade não tem nada. Gostei de Another Chance - sendo uma indicação da Marília, não tem como dar errado!

bjo bjo