sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

acaso a sina

"Escrevo por não ter nada a fazer no mundo: sobrei e não há nada para mim na terra dos homens. Escrevo porque sou um desesperado e estou cansado, não suporto mais a rotina de me ser e se não fosse a sempre novidade que é escrever, eu me morreria simbolicamente todos os dias. Mas preparado estou para sair discretamente pela porta dos fundos. Experimentei quase tudo, inclusive a paixão e o desespero. E agora só quereria ter o que eu tivesse sido e não fui."

Clarice Lispector

p.s.: porque preciso escrever muito este ano. Em quantidade e qualidade.

5 comentários:

Péricles Carvalho disse...

clarice... ah, clarice! (suspiros...)

mas entao - um ano novo em que voce deve escrever muito - acho legal, mas acredito que assim como vc disse no post, o 'com qualidade' é de total importancia!

eu qro dormir muito esse ano, isso sim, haha!

MarceLa Guimarães. disse...

é e dizem q parir monografia não é fácil. e eu prontamente acredito.
mas, vamos por partes...
o/

Diego de Moraes disse...

"Se Kafka fosse mulher. Se Rilke fosse uma brasileira judia nascida na Ucrânia. Se Rimbaud tivesse sido mãe, se tivesse chegado aos cinqüenta. Se Heidegger pudesse ter deixado de ser alemão, se ele tivesse escrito o Romance da Terra. (...) É nessa ambiência que Clarice Lispector escreve. Lá onde respiram as obras mais exigentes, ela avança. Lá, mais à frente, onde o filósofo perde o fôlego ela continua , mais longe ainda, mais longe do que todo saber. "

( Hélène Cixous in A HORA DE CLARICE LISPECTOR)

Cindy F. disse...

essas é uma das minhas partes preferidas do livro
;)

escrever escrever escrever pra viver

Pennywise disse...

"Do menino infeliz não se nos ilumina tampouco turva-se a lágrima nordestina"